Sem atingir a meta, vacinação contra pólio e sarampo é prorrogada em MG

Sem atingir a meta prevista, a Secretaria de Saúde de Minas Gerais prorrogou para o dia 19 de dezembro a campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite. O objetivo de imunizar 95% das crianças não foi alcançado. Apenas 79,7% do público-alvo recebeu a vacina contra o sarampo e 84% contra a poliomielite. A campanha estava prevista para terminar nesta sexta-feira (12).

Até o momento, em Governador Valadares13.860 meninos e meninas foram vacinados contra a paralisia infantil, e, contra o sarampo, foram imunizadas 11.663 crianças. Para vacinar, os pais devem levar as crianças até sexta-feira (19), das 8 às 17h, à unidade de saúde mais próxima de casa. É preciso levar o cartão de vacinação da criança.

Embora o Brasil não apresente casos de poliomielite desde 1990, é importante que todas as crianças de seis meses até quatro anos, 11 meses e 29 dias sejam vacinadas para que a doença não seja reintroduzida no país, tendo em vista que o vírus permanece ativo em outras regiões do mundo.

Doenças virais

O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar.

As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A única forma de prevenção é por meio da vacina.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

Foto: GDF/Divulgação
Fonte: G1

CLOSE
CLOSE
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com