Prefeitura de Guanhães decreta calamidade pública por causa do período de estiagem

A Prefeitura de Guanhães, no Leste de Minas, decretou estado de emergência e calamidade pública por causa da estiagem na região. O documento foi assinado no início da semana, mas divulgado no dia do aniversário da cidade, comemorado nesta quarta-feira (25). De acordo com o município, o abastecimento já é feito em regime de racionamento há duas semanas.

Com a medida, será possível captar água em reservas alternativas, já que a captação no Rio Graipu, que abastece a cidade, está com o nível abaixo do indicado em função da estiagem.

Além de autorizar a captação de água em propriedades particulares, o documento restringe a utilização do recurso. Entre outras medidas, o decreto proíbe os usuários dos serviços públicos de lavar calçadas, varandas e telhados sob pena de terem o abastecimento suspenso. A Prefeitura não informou como será feita a fiscalização do uso abusivo da água.

A declaração de calamidade tem duração de 12 meses e para iniciativas emergenciais permite a isenção de processos licitatórios por 180 dias.

Segundo o secretário de governo, José Domingos de Souza, o sistema de racionamento já é feito no município há cerca de duas semanas. “Na semana passada, o abastecimento era feito dia sim, dia não. Agora o prazo foi estendido para dois dias sem fornecimento.”

Ainda de acordo com o secretário, o Rio Graipu está praticamente seco e barragens de várias propriedades da região já estão sendo sondadas para ajudar no abastecimento. “Já começamos os trabalhos de captação e a reserva de uma mineradora aqui perto da cidade vai garantir o fornecimento, de forma racionada, por aproximadamente 10 dias. Depois disso, só a chuva poderá trazer uma solução para o problema,” prevê.

Fonte: G1 Vales

CLOSE
CLOSE
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com