Morre a quinta vítima de explosão na usina da Gerdau em Ouro Branco

Morreu na noite desse domingo a quinta vítima da explosão em uma usina da Gerdau em Ouro Branco, na Região Central de Minas Gerais. O acidente ocorreu em 15 de agosto deste ano. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Ouro Branco e Base (Sindob), Elicleia Aquino da Silva tinha 34 anos e estava em coma no Hospital Evangélico, em Belo Horizonte, desde o dia do acidente. Foram 56 dias internada.
A mulher era soldadora da Convaço, empresa que prestava serviços à Gerdau. O corpo será velado durante a tarde e o enterro deve ocorrer no início da noite desta segunda-feira no Cemitério Municipal de Ouro Branco, segundo o sindicato.
A Polícia Civil ainda investiga as causas e responsabilidades da explosão. O acidente aconteceu quando um grupo trabalhava na manutenção da parte inferior da coqueria 2 da usina – um forno em que se produz o coque, derivado de carvão mineral essencial na fabricação do aço. Duas pessoas, um funcionário da empresa e de um integrante de uma empreiteira, morreram na hora.
As vítimas foram identificadas como Fernando Alves Peixoto, de 40 anos, e Cristiano Rodrigo Marcelino, de 35. Em 3 de agosto, o prestador de serviços da empresa Oil Trade, Sandro Barbosa Gomes, de 38 anos, morreu e, em 10 de setembro, Levindo Costa Carvalho, de 60 anos, também teve a morte constatada. Outras 10 pessoas foram encaminhadas para hospitais de Ouro Branco e de Belo Horizonte.
Em 2016, ocorrências na usina em novembro e em dezembro provocaram cinco mortes. A Polícia Civil confirmou que investiga os casos. Porém, as apurações seguem em segredo de Justiça.
CLOSE
CLOSE
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com