Ibama avalia se Rio Doce pode ser atingido por vazamento de minério

Um trecho de um mineroduto na cidade de Santo Antônio do Grama, em Minas Gerais, rompeu nesta segunda-feira (12) e atingiu o Ribeirão Santo Antônio, que é um subafluente do Rio Doce. Questionado pela reportagem do Gazeta Online se o Rio Doce pode ter algum impacto, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou que somente após uma vistoria poderão ser avaliadas consequências ao meio ambiente.

Ainda de acordo com o Ibama, uma equipe do Núcleo de Emergências Ambientais foi enviada ao local para averiguar a situação. O Ibama ressaltou que após a fiscalização poderá ser emitido eventuais sanções administrativas à empresa Anglo American Minério de Ferro S.A, que transporta sua produção de minério de ferro de Minas Gerais ao Rio de Janeiro pelo mineroduto.

Por meio de nota, a Anglo American informou que houve um vazamento de polpa em um dos córregos de Santo Antônio do Grama. A polpa, de acordo com a empresa, consiste em 70% de minério de ferro e 30% de água, “sendo classificada pela NBR 10.004, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), como resíduo não perigoso”. A empresa esclareceu que ninguém ficou ferido com o rompimento.

LICENÇA LIBERADA

O Ibama informou que a Anglo American tem a Licença de Operação (LO) nº 1260/2014 que é válida até 2021 e não será suspensa.

O instituto explicou que a polpa de minério é uma mistura com a água para facilitar o escoamento pelo mineroduto. Ainda segundo o Ibama, o material não possui substâncias químicas ou tóxicas. Apesar de não apresentar riscos à saúde humana, a polpa provoca turbidez da água.

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) está monitorando a qualidade da água da cidade de Santo Antônio da Grama. A Anglo American informou que o abastecimento está sendo garantido por meio da disponibilização de caminhões-pipa, como medida emergência.

FLUXO INTERROMPIDO

A Anglo American ainda informou que o fluxo do mineroduto foi interrompido e, neste momento, apenas água está sendo escoada. A empresa disse também que as informações sobre o volume do material vazado ainda está em apuração e como medida de segurança complementar, foi bloqueado o acesso ao local. “A empresa reforça o seu compromisso com o bem-estar e pronto-atendimento às comunidades próximas às suas operações e está dedicando todos os seus esforços para evitar que o fato cause impacto às populações vizinhas”, destacou a nota.

Questionada pelo Gazeta Online sobre quais são os riscos do vazamento atingir o Rio Doce, assim como aconteceu com o rompimento da barragem da Samarco, em Mariana, em novembro de 2015, a Anglo American informou que ainda não é possível avaliar, mas que no momento os esforços estão concentrados em medidas emergenciais que garantam o abastecimento de água na cidade de Santo Antônio do Grama.

CLOSE
CLOSE
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com