Corpo de homem é encontrado dentro de tanque de caminhão

Dois dia depois de ser visto por vizinhos pela última vez em cima do caminhão em que trabalhava, que estava estacionado a menos de 50 metros da residência em que morava, na rua Jacarandá, no bairro Sítio Poções, em Betim, na região metropolitana, um homem de 33 anos foi encontrado morto dentro do tanque do veículo, por um amigo, na tarde de segunda-feira (30). As causas da morte ainda estão sendo apuradas pela polícia.

Ricardo de Souza Ferraz foi visto pela última vez por vizinhos, por volta das 14h30, de sábado (28). Nilson Francelino, amigo da vítima que encontrou Ferraz dentro do tanque, contou que ao deixá-lo em casa, no mesmo dia, ele contou que teria que fazer um carregamento por volta das 6h da manhã desta segunda (30), entretanto, que teria deixado um funil cair dentro do tanque e que iria pegá-lo no sábado (28). “Quando soube que ele havia desaparecido, subi em cima do tanque para procurá-lo. A escotilha estava aberta. Quando olhei para baixo, vi o corpo dele lá dentro. Fiquei em choque”, disse o amigo.

Para Fernando Carlos Felipe, proprietário do caminhão-tanque e amigo de Ferraz, houve imprudência por parte do motorista. “Ele trabalhava transportando cargas perigosas há algum tempo. Tinha curso para isso e sabia que não podia entrar dentro do tanque. Infelizmente, por causa de uma falha dele, ele pagou com a própria vida. Lamento muito o que aconteceu. Mais que um funcionário, ele era um amigo”, afirmou.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, que retirou o corpo do tanque, Ferraz pode ter sofrido asfixia por causa dos gases acumulados no tanque do caminhão, que transportava cimento asfáltico de petróleo. “A princípio, acreditamos que foi um acidente de trabalho. Apesar de esse produto não ser inflamável, ele pode ter desmaiado e se asfixiado dentro do tanque. Mas somente o laudo da perícia pode dizer realmente qual foi a causa da causa da morte”, explicou o sargento Eduardo Lúcio Braga, do Batalhão de Emergência Ambientais e Resposta a Desastres.

Inicialmente, o caso foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios de Betim. Porém, Segundo peritos que estavam no local, não há sinais de violência no corpo. “Ele estava em estado de decomposição. Temos que aguardar o resultado do laudo pericial, que sai em até 30 dias, para saber a causa da morte”, explicaram os peritos.

Reportagem: Jornal O Tempo

CLOSE
CLOSE
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com