Com o orçamento apertado, show pirotécnico em Vitória terá duração de sete minutos

A declarada crise econômica pela qual passam prefeituras e Estados brasileiros fez com que as festas de virada de ano sofressem alterações.

Com o orçamento apertado e a necessidade de se fazer ajustes aqui e acolá, o investimento no Réveillon de Vitória sofreu uma redução de 67% em relação ao ano anterior. Isso significa que, se para a chegada de 2015 foram gastos R$ 1,67 milhões, para celebrar 2016 serão gastos pouco menos de R$ 300 mil.
Dessa forma, o tempo do show pirotécnico caiu pela metade: de 14 para sete minutos, na Praia de Camburi. Em Santo Antônio, outro ponto da Capital a ter uma festa própria, serão 4 minutos. O número de balsas também caiu. Ano passado foram posicionadas quatro embarcações em Camburi e esse ano serão apenas duas. No outro ponto da cidade, continuará sendo uma como nos anos anteriores.
Houve ainda redução na quantidade de fogos de 13 toneladas para 1,5 toneladas. Quando o relógio indicar zero hora do dia 1º de janeiro de 2016, não haverá música para anunciar que o ano novo começa, apenas o barulho dos fogos marcará o início de um novo ciclo para os capixabas. Na virada para 2015, duas bandas embalaram a festa. Esse ano apenas uma estará presente.
Mas, o secretário municipal de Turismo e Renda, Leonardo Khroling, garante que o padrão técnico da festa será mantido para atender as 250 mil pessoas esperadas na orla da cidade, dos quais 15 mil deverão ser turistas.
“O Réveillon de Vitória teve que se adaptar ao atual momento enfrentado pela prefeitura, a disponibilidade de recursos. O importante de se frisar é que nós mantemos a festa. Entendemos que ela é muito importante, atrai turistas, lota os hotéis. Estamos com 100% de ocupação da orla. E nós não baixamos a qualidade dos fogos de artifício, ela se manteve igual ao que tivemos ano a ano”, disse.
Apesar das adequações, o público pode esperar novidades no formato dos fogos, segundo Moisés Lanza, dono da empresa responsável pelos shows pirotécnicos na Capital e em Vila Velha. “Nós vamos manter a mesma qualidade dos anos anteriores, com produtos importados da China e alguns da Espanha. A novidade desse ano são justamente essas bombas espanholas que vão subir com um rastro dourado no céu, a 150 metros de altura e vão se transformar em uma palmeira dourada. Terão fogos 3D, arco-íris, carinhas, estrelas e outras surpresas que vamos trazer”, revelou.
[ad name=”HTML”]
Pelo menos 35 pessoas estão diretamente ligadas aos preparos para as festas de Vitória e Vila Velha. Para organizar os fogos são necessárias 16 horas de trabalho diários, desde o dia 24 de dezembro. As balsas saem da Ilha da Fumaça, em Vitória, às 5 horas desta quinta-feira (31) acompanhadas por rebocadores e entram mar a dentro. A ideia é que até o meio da tarde elas já estejam em suas posições finais, a 400 metros das praias.
Em Vila Velha, serão três balsas localizadas na Praia da Costa, Itapoã e Itaparica. Serão sete minutos de queima de 1,5 toneladas de fogos. No município, os investimentos para a virada também sofreram redução em relação aos anos anteriores por conta da crise, segundo Moisés.
[ad name=”HTML”]
CLOSE
CLOSE
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com