Cesan admite que pode faltar água no verão

Pode faltar água durante os meses de verão. O alerta é da Cesan e atinge principalmente as cidades localizadas nas áreas mais secas no interior e no litoral capixaba. O motivo é a falta de água nos rios, fruto de uma crise hídrica que se arrasta há mais de um ano.
O presidente da Cesan – responsável pelo abastecimento em 52, dos 78 municípios –, Pablo Andreão, não descarta nem mesmo a adoção de medidas mais severas, como a redução do fornecimento de água, se o cenário de forte estiagem persistir. “Se não tiver água, alguma medida de contingência terá que ser adotada, é inevitável”, assinala.
Na última semana, relata Andreão, algumas cidades do Norte do Estado – Conceição da Barra, São Gabriel da Palha, Barra de são Francisco e localidades de Ecoporanga – estavam em situação tão crítica que o abastecimento teve que ser reduzido para algumas horas do dia.
Em paralelo, acrescenta, foram necessárias outras ações. “Foi preciso, por exemplo, limitar o uso para irrigação, em determinados horários. A prioridade foi o consumo humano e a dessedentação do gado”, explicou Andreão.
A dificuldade nos próximos meses é o aumento da população das cidades, principalmente no litoral, com a superlotação dos imóveis em época de verão. Na Região da Grande Vitória e no interior a expectativa é de um aumento de 20% até 50% no consumo.
Daí a necessidade, segundo Andreão, das pessoas se precaverem, não somente economizando água, mas também adequando seus reservatórios à quantidade de pessoas existente nas casas. “Não é preciso estocar, mas adequar seu reservatório”, destaca.
Nos últimos meses foram feitos investimentos em várias cidades do litoral, incluindo Guarapari, onde o problema foi mais acentuado no último verão. Novos poços foram perfurados, adutoras e reservatórios construídos, assim como a instalação de novos pontos de captação.
Mas nada disso terá efeito, destaca o presidente da Cesan, se não houver água nos rios. “Temos que nos preparar para o pior. Por isso o alerta para que se economize água”, pontua.
[ad name=”HTML”]
Áreas vulneráveis
Litoral
Balneários
Podem ocorrer problemas nos balneários – Guarapari, Anchieta, Serra, Piúma, conceição da Barra, dentre outros – devido à superlotação dos imóveis e o consequente aumento do consumo.
Grande Vitória
Consumo
As regiões que estão na chamada “ponta de linha”, as áreas mais altas, estão sujeitas a problemas de abastecimento. O consumo pode até dobrar.
Interior
Áreas secas
Localidades mais suscetíveis ao desabastecimento. Na semana passada a situação estava crítica em Conceição da Barra, São Gabriel da Palha, Barra de São Francisco e Ecoporanga.
Algumas dicas
Turistas
Casas
A orientação é que se evite uma quantidade grande de pessoas por residência.
Reservatórios
Avaliação
Nas casas de veraneio a orientação é avaliar a capacidade dos reservatórios e se eles serão adequados para o consumo diário. Por exemplo, se uma pessoa consome, em média no verão, até 200 litros por dia e o imóvel possui um reservatório de mil litros, no máximo cinco pessoas devem ocupar a residência.
Desperdício
Torneiras
Não devem ficar abertas por longo tempo. Fique atento ao lavar as mãos, escovar os dentes e ensaboar roupas.
Banho
Devem ser rápidos e use o sabonete com o chuveiro fechado.
Sanitário
Regule periodicamente a válvula ou caixa de descarga e nunca jogue lixo no vaso. Descargas representam 25% do consumo doméstico. Seu uso precisa ser moderado.
Vazamentos
Observe as torneiras, boias de caixa, registros e outros pontos da casa. Isso pode representar 25% do consumo de água.
[ad name=”HTML”]
CLOSE
CLOSE
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com