Motorista apontado como causador de tragédia na BR 101 é preso

O motorista da carreta apontado como causador da tragédia na BR 101, em Viana, foi preso no fim da tarde desta quarta-feira (11). Wesley Montovanelli, 45 anos, foi levado para a Delegacia de Delitos de Trânsito, onde foi autuado por homicídio culposo.




 

Segundo o delegado Alberto Roque, análises preliminares da perícia da Polícia Civil e da equipe da Polícia Rodoviária Federal indicam que Wesley seguia na via a 85 km/h. No trecho, o limite é de 60 km/h. Embora o motorista tenha dito à polícia que se distraiu ao olhar para um posto de gasolina, o delegado diz que há indício de uma outra situação: Wesley estaria usando o WhatsApp na hora do acidente.

 

“Segundo análises preliminares, dois grupos no WhatsApp de motoristas de caminhão, no horário do fato, ás 11h50, estão apagados. As demais conversas estão normais. Isso é indício de que ele estava usando o celular e apagou os grupos para ocultar a prova. O aparelho foi encaminhado para a perícia para confirmar se ele estava no WhatsApp no instante do acidente”.




 

Roque afirma que a carreta pertence a uma empresa e que Wesley era funcionário. “Ele seguia de Cariacica com destino a Viana, onde disse que faria revisão de rotina em uma oficina em Viana. Tudo isso será averiguado ainda. O laudo do acidente deve ficar pronto em 30 dias”, explicou.

 

VÍDEO DA CHEGADA DE WESLEY À DELEGACIA

‘FALTA DE ATENÇÃO E EXCESSO DE VELOCIDADE’

 

O inspetor Macedo Miranda, da Polícia Rodoviária Federal, afirmou à reportagem que a carreta preliminarmente apontada como causadora do acidente na BR 101, em Viana, estava a 85 km/h quando colidiu contra a fila de oito veículos à frente. A velocidade máxima do trecho é de 60 km/h.

 

Segundo Macedo, o motorista desta carreta conversou com ele e teria dito que desviou os olhos da direção para um posto de gasolina e, quando voltou a olhar em direção à pista, já colidiu contra os veículos. “Falta de atenção e excesso de velocidade são as causas prováveis desse acidente”, comentou.

 

Ainda com informações do inspetor, a outra carreta que estava na ponta desta fila de carros, seguia a 70 km/h, também acima do limite permitido.

Comentários

Comentários




CLOSE
CLOSE