Cruzeiro vence o Sport e chega ao G6 do Brasileirão

Mesmo com uma decisão na quarta-feira, o Cruzeiro usou praticamente o que tinha de melhor – apenas Romero e Robinho foram poupados – e venceu o Sport por 2 a 0, gols de Sassá e Raniel, neste domingo (20/8) no Mineirão. Com o triunfo, a Raposa ganhou moral para o jogo do meio de semana contra o Grêmio, pela volta da semifinal da Copa do Brasil. O time de Mano Menezes precisa vencer o Tricolor por dois gols de diferença; vitória por 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis.




O bom resultado fez o Cruzeiro saltar na tabela. O clube celeste pegou o elevador e subiu três posições: ultrapassou Botafogo, Sport e Atlético-PR, chegando à sexta posição. Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, a Raposa enfrenta o Santos, no Mineirão, domingo, às 19h. Já o Sport folga uma semana e enfrenta o Grêmio apenas no dia 2 de setembro, na Arena do Grêmio.

Para a partida deste domingo, Mano Menezes surpreendeu e mandou a campo o time titular para enfrentar o Sport. O Cruzeiro foi o único dos semifinalistas da Copa do Brasil a usar a formação principal. Botafogo, Grêmio e Flamengo pouparam. Na cabeça do comandante celeste, estava o valor psicológico da vitória.




“O Campeonato Brasileiro também é importante e não podemos nos distanciar da turma da frente. Temos que voltar a vencer em casa, e vencer é importante psicologicamente para quarta-feira”, avaliou Mano Menezes, antes da partida. A primeira parte da estratégia deu certo: a Raposa venceu em casa após jejum de quatro partidas (empates contra Botafogo, Vitória, Palmeiras e Flamengo). Se dará certo o efeito para a Copa do Brasil, só saberemos na quarta.

Sassá abriu o placar no Mineirão (Foto: Washington Alves / Light Press / Cruzeiro)

Sassá comprova bom momento

O Cruzeiro começou a partida com dificuldade de fazer o jogo fluir. O time não se encontrava em campo, com muitos erros de passes e falta de sintonia entre os jogadores. O Sport se aproveitou dos erros do time de Mano Menezes e criou as primeiras oportunidades.

Aos 4 minutos, André se antecipou à zaga e, sozinho, testou com força. A bola passou perto do gol de Fábio. O ex-atleticano deu trabalho à defesa celeste. Aos 26, ele ganhou de Ezequiel e Leo na grande área. Mais uma vez ele cabeceou para fora. Um minuto depois, André voltou a assustar. Ele ganhou na velocidade na zaga, saiu na cara do goleiro Fábio, mas chutou mascado para fora.

Quanto tudo levava a crer que o time pernambucano estava próximo do primeiro gol, surgiu o atacante Sassá, o melhor jogador do Cruzeiro nos últimos jogos. Aos 33, ele aproveitou ótimo cruzamento de Ezequiel e cabeceou para o chão. A bola quicou e encobriu o goleiro Magrão, que caiu precipitadamente: 1 a 0.

Contabilizando este tento, Sassá soma seis dos últimos nove gols do time. Mas o Cruzeiro não pode usá-lo na quarta, contra o Grêmio, porque ele já disputou a competição pelo Botafogo, seu ex-clube. Em grande fase em campo, o atacante também chamou atenção pelo comportamento fora das quatro linhas. Ele se envolveu em uma confusão em uma casa noturna de Belo Horizonte na madrugada de sábado.

Nos últimos minutos da etapa inicial, a Raposa encontrou duas boas oportunidades de marcar. Leo acertou o travessão de Magrão após cobrança de falta e Thiago Neves por pouco não desviou na pequena área um cruzamento de Ezequiel.

Sassá abriu o placar no Mineirão (Foto: Washington Alves / Light Press / Cruzeiro)

Raniel marca e amplia vantagem

O segundo tempo começou com o Cruzeiro em cima do time pernambucano. Logo aos 4 minutos, Thiago Neves chutou com categoria de fora da área, encobriu o goleiro Magrão, mas a bola bateu na trave.

Construída a vantagem, a Raposa soube administrar o resultado. O Sport, com dificuldade de criar, fez duas alterações para tentar mudar o panorama: Rogério e Anselmo entram nas vagas de Everton Felipe e Mena. Mas o time pernambucano pouco ameaçou. A melhor oportunidade ocorreu com André, mas uma vez pelo alto. Ele antecipou ao marcador e mandou para fora.

O Cruzeiro também ameaçou. O time celeste reclamou de um pênalti não marcado aos 27 minutos. Thiago Neves recebeu dentro da área, mas levou uma carga nas costas e caiu. O árbitro assinalou escanteio. Os cruzeirenses se queixaram, mas nada adiantou.

A Raposa ainda achou um gol no fim da partida, com Raniel, que substituiu Sassá. A bola sobrou para ele na entrada da área, o atacante limpou o lance e fuzilou o goleiro Magrão: 2 a 0. Será que ele colocou uma dúvida na cabeça do técnico Mano Menezes, já que Sobis não marca há quase dois meses? No fim de jogo, Mano comemorou o resultado e sinalizou o número quatro com a mão, convocando a torcida para a decisão de quarta-feira contra o Grêmio. É o jogo do ano para o Cruzeiro.

Comentários

Comentários




CLOSE
CLOSE